Microchip Para Cães e Gatos: O Que é, Como Funciona, Onde e Como é Implantado, Qual é o Preço?

Microchip para cães e gatos: o que é, como funciona, onde e como é implantado, qual é o preço?

Você já imaginou se o seu cãozinho ou o seu gatinho foge de casa? Ou se ele é roubado e depois abandonado? E você sabia que você pode aumentar as suas chances de encontrá-lo com um microchip para cães e gatos?

O microchip para cães e gatos não fornece o rastreamento em tempo real, como o GPS. Porém, ele aumenta as chances de você encontrar o seu animalzinho, porque ele pode ajudar a pessoa que encontrá-lo chegar até você. As coleiras com plaquinha de identificação podem ajudar, mas o animal pode perdê-la. A conduta ao encontrar um animal perdido é sempre levá-lo a uma clínica veterinária ou a um pet shop para verificar se o animal possui um microchip e, assim, fazer a sua leitura e obter os seus dados de identificação. Além disso, o uso de microchip é obrigatório caso você faça viagens internacionais com o seu animalzinho.

Importante: o uso do microchip não dispensa o uso da coleira com plaquinha de identificação, mas ele fornece uma garantia a mais de você encontrar o seu pet. Outra opção, é você utilizar no seu animal uma coleira com rastreador GPS, assim você saberá a sua localização em tempo real.

Tire todas as suas dúvidas sobre microchip para cães e gatos logo abaixo!

1. O que é o microchip para cães e gatos?

O microchip para cães e gatos é um dispositivo eletrônico, super pequeno (1.25mm), implantado sob a pele dos animais, que armazena diversas informações sobre o animal para auxiliar na sua identificação.

Cada microchip apresenta um código numérico exclusivo e inalterável. Após a implantação, esse código numérico é registrado em alguns sites de bancos de dados online, junto com as informações do animal, como você verá a seguir.

Ah! E todos os microchips são feitos com um material biocompatível com a pele dos animais, então não causam reações e alergias!

2. Como funciona o microchip para cães e gatos?

O microchip para cães e gatos é identificado por um leitor, o qual funciona como um scanner: ele faz a varredura do sinal emitido pelo microchip por meio de um onda de radiofrequência baixa. Após a leitura, o código numérico do microchip aparece no visor do leitor.

3. Onde o microchip para cães e gatos é implantado?

O microchip para cães e gatos é implantado no dorso dos animais, mais exatamente na região entre as escápulas, como mostra a imagem abaixo.

Microchip para cães e gatos: tamanho, seringa e local de implantação

4. Como é a implantação de microchip em cães e gatos?

A implantação de microchip em cães e gatos deve ser feita exclusivamente por médicos veterinários, é rápida e indolor, semelhante a uma injeção, e não requer anestesia. Além disso, a implantação é feita uma única vez, não havendo necessidade de troca.

Confira o passo a passo da implantação de microchips em cães e gatos:

  1. O leitor é passado nos animais para verificar se não há nenhum outro microchip implantado previamente.
  2. O leitor é passado no microchip para verificar a sua funcionalidade.
  3. O microchip é implantado na região entre as escápulas dos animais com uma seringa especial.
  4. O leitor é passado novamente nos animais para verificar a implantação.
  5. O código numérico do microchip e as informações dos animais são registrados em sites de bancos de dados online.
    Microchip para cães e gatos: passo a passo da implantação

    5. Quais são os sites para registrar o microchip para cães e gatos?

Alguns sites que você registrar o microchip do seu animalzinho são:

Site do Cadastro Nacional:
http://www.abrachip.com.br

Site do Sistema de Identificação e Registro de Animais da América Latina:
http://www.siraa.net

Site do Cadastro Internacional da Virbac:
http://www.backhome.com.br/

Uma dica: você pode pesquisar se a prefeitura da sua cidade disponibilizada algum site de banco de dados online para você também registrar o seu animalzinho nele.

Além do código numérico do microchip, são registradas as suas informações, como nome, telefone e endereço, e as informações do animal, como nome, espécie, raça, sexo e data de nascimento.

Você também pode registrar outras informações, como data de vacinas e vermífugos, medicamentos que o seu animal já tomou e doenças anteriores, por exemplo, para criar um histórico dele, trazendo praticidade e facilidade para a sua vida no momento em que você precisar dessas informações!

6. Qual é o preço do microchip para  cães e gatos?

O preço do microchip para cães e gatos normalmente varia entre R$100,00 a R$200,00.

Agora que você já tirou as suas dúvidas sobre microchip para cães e gatos, já pode considerar a implantação no seu animalzinho e garantir mais uma forma de segurança para ele. Mas esperamos que você nunca precise usá-lo! 🙂

E, você quer saber como garantir que o seu pet está realmente prevenido contra diversas doenças e que ele está sendo vacinado corretamente? A resposta é simples: basta acessar o Guia de Vacinação de Cães e Gatos, desenvolvido especialmente para tutores de cães e gatos. Com este material, você poderá garantir que o seu pet está recebendo as vacinas corretas nos períodos corretos e que ele está recebendo também vacinas de qualidade, além de saber quais as doenças as quais ele está protegido e o que elas causariam, as reações adversas das vacinas, os locais indicados para aplicação de vacinas em gatos e muito mais! Clique aqui para acessar e fazer download o Guia de Vacinação de Cães e Gatos e garanta que o seu pet esteja realmente prevenido.

 

Como Fazer o Gato Beber Água: Confira 7 Dicas Simples e Fáceis

A água, além de ser essencial para a saúde, é de extrema importância para os gatos. Mas… E por que é tão importante assim para os gatos? Porque os gatos têm uma predisposição muito maior a desenvolverem doenças do trato urinário que as outras espécies. Assim, o consumo adequado de água é a chave para a prevenção, pois ajuda a manter o fluxo urinário e a concentração urinária ideiais.

Na clínica felina, é muito comum os casos de doença do trato urinário inferior felino (DTUIF), que compreende a bexiga e a uretra. Pode ser causada por doenças inflamatórias da bexiga e da uretra de origem desconhecida ou de origem infecciosa, por neoplasias, por cálculos (urolitíase) ou por estenose da uretra. É classificada em não-obstrutiva ou obstrutiva – esta última é considerada uma emergência e os gatos precisam receber atendimento veterinário o mais rápido possível.

É importante ressaltar que gatos machos apresentam maior chance de desenvolver a doença, pois a uretra dos machos é mais fina em relação a uretra das fêmeas. Gatos castrados também apresentam maior chance, visto que com a castração os gatos ficam mais sedentários, se movimentam menos e bebem menos água. Assim, a urina fica retida na bexiga por mais tempo e causa irritação da parede.

Vale lembrar que a castração é um procedimento essencial para os gatos, visto que previne o tumor de mama em fêmeas e o tumor de próstata em machos, melhora o comportamento e contribui para o controle populacional e não é um fator que predispõe a doenças urinárias, desde que o gato seja estimulado a beber água e a se movimentar com exercícios e brincadeiras, por exemplo.

Geralmente, os gatos apresentam dificuldade e dor ao urinar, aumento da frequência com diminuição do volume de urina, sangue na urina e podem urinar fora do local habitual.

E o seu gato? Ele está bebendo pouca água? Confira aqui 7 dicas simples e fáceis, saiba como fazer o seu gato beber água e previna as doenças do trato urinário.

Como Fazer o Gato Beber Água?

1. Manter sempre a água fresca

É ideal trocar a água dos gatos 2 vezes por dia e lavar as vasilhas de água diariamente para manter sempre a água fresca. Vasilhas de vidro, porcelana, cerâmica ou aço inox são melhores que vasilhas de plástico, pois não favorecem a proliferação bacteriana e mantém a água mais fresca.

2. Oferecer água em vasilhas de formatos diferentes

Cada gato tem a sua preferência por vasilha. Alguns preferem vasilhas grandes para não encostar os bigodes nas bordas, enquanto outros preferem vasilhas pequenas para encostar somente a língua. Assim, variando o formato das vasilhas fica mais fácil de saber o modo que os gatos preferem beber água.

3. Colocar as vasilhas de água longe das vasilhas de comida

Apesar de domesticados, os gatos conservam muito seus instintos de viver natureza. Como na natureza os gatos não beberiam água perto do seu alimento, ou seja, da sua presa, para evitar contaminação, é interessante manter água e comida longes uma da outra.

4. Colocar fontes de água pela casa

Também a fim de mimetizar a natureza, a água corrente da fonte simula o barulho da água corrente de rios e riachos, onde os gatos beberiam água. Logo, é uma maneira de os gatos se sentirem mais próximos da sua natureza.

5. Espalhar várias vasilhas de água pela casa

Na natureza, os gatos não teriam água em um lugar fixo. Assim, espalhar várias vasilhas de água em lugares diferentes da casa pode ser uma opção bastante atrativa para os gatos.

6. Colocar a água em vasilhas de vidro com espelho embaixo

A função do espelho embaixo da vasilha de vidro é mostrar o reflexo dos gatos, mais uma vez, mimetizando a natureza, em que os gatos veriam o seu reflexo ao beber água em rios e riachos.

7. Acrescentar ração úmida na alimentação dos gatos

Última dica, mas não  menos importante, é acrescentar ração úmida na alimentação dos gatos. As rações úmidas apresentam em torno de 80% de umidade, enquanto as rações secas apresentam em torno de 10% de umidade. Além de hidratar os gatos, a ração úmida é altamente palatável, é atrativa pelo seu cheiro e pela sua consistência e apresenta os nutrientes necessários para a dieta dos gatos.

Pronto! Agora você já sabe como fazer o seu beber água com 7 dicas simples e fáceis. Fique sempre atento ao consumo de água do seu gato, estimule o consumo de água, exercícios e brincadeiras, promovendo uma vida mais saudável ao seu melhor amigo. Vamos tentar? 🙂

E, você quer saber como garantir que o seu pet está realmente prevenido contra diversas doenças e que ele está sendo vacinado corretamente? A resposta é simples: basta acessar o Guia de Vacinação de Cães e Gatos, desenvolvido especialmente para tutores de cães e gatos. Com este material, você poderá garantir que o seu pet está recebendo as vacinas corretas nos períodos corretos e que ele está recebendo também vacinas de qualidade, além de saber quais as doenças as quais ele está protegido e o que elas causariam, as reações adversas das vacinas, os locais indicados para aplicação de vacinas em gatos e muito mais! Clique aqui para acessar e fazer download o Guia de Vacinação de Cães e Gatos e garanta que o seu pet esteja realmente prevenido.

Clínicas Veterinárias 24 Horas em Porto Alegre: Encontre a Mais Próxima de Você!

Você já passou por alguma situação de emergência com o seu pet em finais de semana, feriados ou até mesmo de madrugada? E você tinha dúvidas sobre qual clínica veterinária levar o seu cachorro e/ou o seu gato? Você perdeu tempo pesquisando na Internet e perguntando para os seus amigos e familiares? Ou então, você está procurando exatamente agora?

Pensando nesses momentos em que o tempo é crucial para a saúde do seu pet e a fim de entregar praticidade para você, preparamos uma relação de clínicas veterinárias 24 horas em Porto Alegre de acordo com os bairros da cidade, com os respectivos sites, endereços e telefones. Confira abaixo!

Clínicas Veterinárias 24 Horas em Porto Alegre

Auxiliadora

Mundo Animal: Rua Silva Jardim, 43; telefone (51) 3333-5750

Bom Jesus

Hospital de Clínicas Veterinárias do Rio Grande do Sul: Rua Doutor Murtinho, 324; telefone (51) 3334-6944

Cavalhada

Animed RS: Avenida da Cavalhada, 1957; telefone (51) 3249-9592

Chácara das Pedras

Pet Home: Rua Araponga, 437; telefone (51) 3062-7644

Cristal

Pet Support – Zona Sul: Rua Doutor Campos Velho, 1366; telefone (51) 3277-2020

Higienópolis

Bicho Mania: Rua Dom Pedro II, 1241; telefone (51) 3342-0828
Pet Support – Zona Norte: Avenida Plínio Brasil Milano, 1135; telefone (51) 3023-7111

Moinhos de Vento

Chatterie – Centro de Saúde do Gato: Rua General Neto, 316; telefone (51) 3343-9878

Independência

Vet Care: Avenida Independência, 359; telefone (51) 98039-2330

Ipanema

Portovet: Avenida Juca Batista, 1636; telefone (51) 3019-8016

Jardim Botânico

Centro Veterinário Barão do Amazonas: Rua Barão do Amazonas, 1450; telefone (51) 3336-5239

Jardim Lindóia

Centro de Estética e Saúde Animal Lindóia: Rua Caracas, 07; telefone (51) 3013-5696

Menino Deus

Terra dos Bichos: Avenida Erico Veríssimo, 1214; telefone (51) 3217-6243
Hospital Veterinário Lorenzoni: Avenida Getúlio Vargas, 217; telefone (51) 3221-4239

Mont Serrat

Veterinária Auxiliadora: Rua Artur Rocha, 98; telefone (51) 3332-4179

Petrópolis

Águia Veterinária: Avenida Protásio Alves, 330; telefone (51) 3330-1385
Animed RS: Rua Carazinho, 412; telefone (51) 3237-3574

Teresópolis

Krefta Vet Center: Avenida Teresópolis, 3499; telefone (51) 3737-3235

Clínicas Veterinárias 24 Horas em Porto Alegre

Agora você já conhece as clínicas veterinárias 24 horas em Porto Alegre e pode encontrar a mais próxima de você e o seu respectivo contato. Quem tem pet sabe que é preciso estar preparado para situações de emergência. Deste modo, você pode pesquisar mais sobre atendimento, equipe, serviços disponíveis, preços e relação custo benefício das clínicas veterinárias 24 horas mencionadas acima e se preparar para uma ocasião futura com o seu cão e/ou com o seu gato. O texto foi útil para você? Então, compartilhe com os seus amigos e os ajude a se prepararem para esses momentos! 🙂

E, você quer saber como garantir que o seu pet está realmente prevenido contra diversas doenças e que ele está sendo vacinado corretamente? A resposta é simples: basta acessar o Guia de Vacinação de Cães e Gatos, desenvolvido especialmente para tutores de cães e gatos. Com este material, você poderá garantir que o seu pet está recebendo as vacinas corretas nos períodos corretos e que ele está recebendo também vacinas de qualidade, além de saber quais as doenças as quais ele está protegido e o que elas causariam, as reações adversas das vacinas, os locais indicados para aplicação de vacinas em gatos e muito mais! Clique aqui para acessar e fazer download o Guia de Vacinação de Cães e Gatos e garanta que o seu pet esteja realmente prevenido.

 

 

Como Acostumar o Gato na Caixa de Transporte? Confira 6 Dicas Infalíveis!

Você já teve dificuldade para colocar o seu gato dentro da caixa de transporte e a experiência não foi positiva? Ele relutou e você ficou com medo de machucá-lo e estressá-lo? Nós sabemos que, apesar de muito fofos, os gatos são animais de comportamento independente e desconfiado e que são muito sensíveis ao estresse. Pensando nisso, separamos 6 dicas infalíveis para você colocar em prática e acostumar o seu gato na caixa de transporte!

Saiba como Acostumar o Gato na Caixa de Transporte

1. Acostumar o gato na caixa de transporte desde pequeno

O período de socialização dos gatos ocorre entre 6 a 8 semanas de idade (em torno dos 2 meses), por isso o ideal é que o condicionamento do comportamento dos gatos seja realizado neste momento, o que inclui medidas de adestramento gerais, como acostumar o gato na caixa de transporte, e contato com outros animais – Lembre-se de que para isso os gatos devem ser vacinados e testados para FIV e FeLV. Para saber mais sobre vacinas para gatos, confira o nosso post Vacinas para Gatos: o Guia Definitivo para Você Entender Tudo Sobre o Assunto. Mas… O seu gato já é adulto? Não precisa se preocupar. As dicas abaixo são válidas para você!

2. Manter a caixa de transporte aberta em casa

Como os gatos são animais que gostam de se esconder e procuram cantos mais escuros e mais reservados, deixar a caixa de transporte aberta em casa pode ser uma boa oportunidade para familiarizar o gato com a caixa de transporte e estimular a sua entrada voluntária.

3. Tornar a caixa de transporte atraente e aconchegante

Para estimular a entrada voluntária e a permanência do gato na caixa de transporte é importante tornar a caixa atrativa e confortável para o gato. Você pode colocar dentro da caixa de transporte toalhas, cobertores e até alguma de suas roupas a fim de criar um ambiente mais aconchegante para o seu gato.

4. Associar a caixa de transporte com experiência positiva

É fundamental que o gato associe que a entrada na caixa de transporte traga algum benefício para ele. Assim, você pode alimentar o seu gato, colocar brinquedos e oferecer Catnip* a ele, tudo isso dentro da caixa de transporte. Recompensar positivamente é uma estratégia que funciona bastante.

* O Catnip, também conhecido como “a erva do gato”, é uma planta aromática chamada Nepeta cataria que proporciona bem-estar físico e mental aos gatos e reduz o estresse por meio de dois efeitos diferentes. Ao ser inalada, provoca agitação e comportamento brincalhão; ao ser ingerida, provoca relaxamento. Ambos os efeitos têm duração de 10 minutos e é necessário aguardar 30 minutos para que a planta faça efeito novamente.

5. Utilizar feromônio facial sintético

Existem feromônios sintéticos disponíveis comercialmente, como o Feliway®️ que são análogos do odor facial felino (fração F3 do feromônio felino), relacionado com a marcação de território e liberado quando o gato esfrega a cabeça e o corpo em algum local do seu ambiente – um comportamento comum que proporciona tranquilidade. A marcação de território também pode ser feita pela urina ou pela arranhadura, porém, esses casos indicam estresse. Logo, há um antagonismo entre a marcação de território facial e a marcação de território pela urina ou pela arranhadura.

Assim, a aplicação do feromônio facial sintético mimetiza o odor facial e atua como um estímulo tranquilizante, além de prevenir a marcação de território pela urina ou pela arranhadura. Recomenda-se aplicar na face 30 minutos antes de colocar o gato na caixa de transporte a fim de manter o animal calmo e de evitar estresse.

6. Tomar medidas de cuidado com a caixa de transporte ao sair de casa

É muito importante que o gato se sinta seguro na caixa de transporte e que a experiência não gere estresse a ele. Por isso, é indicado colocar a caixa de transporte no chão atrás do banco da frente no carro, limitar a visibilidade do gato com toalhas sobre a caixa de transporte e, em alguns casos, administrar previamente fármacos anti-eméticos para evitar vômitos e fármacos ansiolíticos para evitar agitação e agressividade. Lembre-se que a administração de fármacos deve ser feita somente com a orientação de um médico veterinário.

Saiba como acostumar o seu gato na caixa de transporte
Saiba como acostumar o seu gato na caixa de transporte

Devido às características da natureza felina, condicionar o comportamento dos gatos não é uma tarefa fácil, mas também não é impossível. Existem maneiras adequadas para acostumar o gato na caixa de transporte, porém, o que você precisa fazer também é ter paciência e nunca demonstrar medo e agressividade. Dê o tempo certo para o seu gato se acostumar com a caixa de transporte e faça ele se sentir seguro com você. Vamos tentar? 🙂

E, você quer saber como garantir que o seu pet está realmente prevenido contra diversas doenças e que ele está sendo vacinado corretamente? A resposta é simples: basta acessar o Guia de Vacinação de Cães e Gatos, desenvolvido especialmente para tutores de cães e gatos. Com este material, você poderá garantir que o seu pet está recebendo as vacinas corretas nos períodos corretos e que ele está recebendo também vacinas de qualidade, além de saber quais as doenças as quais ele está protegido e o que elas causariam, as reações adversas das vacinas, os locais indicados para aplicação de vacinas em gatos e muito mais! Clique aqui para acessar e fazer download o Guia de Vacinação de Cães e Gatos e garanta que o seu pet esteja realmente prevenido.

 

Vacinas para Gatos: Para Você Entender Tudo Sobre o Assunto

As vacinas para gatos são consideradas o método mais seguro e eficaz para proteger o seu pet de doenças infecciosas causadas por vírus, bactérias e outros microorganismos.

Ao adotar um filhote de gato ou um gato adulto com histórico de vacinação desconhecido, a vacinação é uma das primeiras medidas a serem tomadas a fim de garantir saúde, bem-estar e qualidade de vida.

O protocolo de vacinação para gatos deve ser elaborado considerando as particularidades de cada animal por meio da análise de fatores como: idade, estado de saúde, estilo de vida (apartamento, casa, hospedagem, acesso à rua), prevalência da doença na região, avaliação do risco de desenvolver a doença e riscos associados à vacinação.

Se você quiser entender tudo sobre vacinação para gatos, preparamos esse material com informações atualizadas, em que você saberá:

✓ quais são as vacinas necessárias para o seu gato
✓ quando elas devem ser aplicadas
✓ porque é necessário mais de uma dose vacinal no início do protocolo
✓ porque é necessário realizar reforço anual
✓ quais são as doenças que elas protegem
✓ quais são os locais indicados para a aplicação de vacinas nos gatos
✓ quais são reações adversas as vacinas para gatos podem causar
✓ quais são as recomendações para o tratamento de massas em área de vacina em gatos

Vacinas para Gatos

1. Quando iniciar as vacinas para gatos?

Para falarmos sobre o momento ideal para iniciar o protocolo vacinal, primeiro precisamos entender brevemente como se desenvolve o sistema imunológico dos gatos.

Ao nascer, o filhote apresenta o sistema imunológico imaturo, ou seja, incapaz de combater infecções causadas por microorganismos. Para o desenvolvimento do seu sistema imune, duas linhas de imunidade são necessárias: a imunidade passiva e a imunidade ativa.

A imunidade passiva consiste na transferência de anticorpos maternos para o filhote. Uma pequena parte desses anticorpos (2 a 10%) é transferida pela placenta – ao contrário dos humanos. Já a maior parte desses anticorpos é transferida pelo colostro, transportada pelo epitélio intestinal e chega na circulação sanguínea nas primeiras 24 horas de vida, conferindo proteção imediata, porém de curta duração. Ao longo do tempo, os anticorpos maternos são catabolizados e, entre 4 e 14 semanas de vida, são reduzidos a limites indetectáveis e tornam o filhote novamente suscetível a infecções. Porém, mesmo com esse declínio do título de anticorpos maternos, pode permanecer uma quantidade residual desses anticorpos suficiente para neutralizar os antígenos vacinais.

Já a imunidade ativa é adquirida pela prática de vacinação, que estimula o organismo a produzir uma resposta imune específica para o antígeno que ela apresenta, gerando uma proteção de longa duração.

Assim, devido ao declínio de anticorpos maternos entre 4 e 14 semanas de idade, recomenda-se iniciar o protocolo vacinal na 8ª semana de idade.

2. Por que é necessário mais de uma dose vacinal no início do protocolo?

Como é impossível determinar o momento exato em que ocorre a perda dos anticorpos maternos e como os anticorpos maternos podem permanecer em uma quantidade residual suficiente para neutralizar os antígenos vacinais, recomenda-se a aplicação de 2 doses da mesma vacina em intervalos de 2, 3 ou 4 semanas, de acordo com o protocolo vacinal, para garantir uma maior quantidade de antígenos, gerando uma resposta imune eficaz.

3. Quais vacinas para gatos são necessárias?

Primeiro, precisamos considerar que as vacinas são classificadas em essenciais e opcionais.

As vacinas essenciais protegem contra doenças com prevalência alta de infecção  e/ou doenças graves , como é o caso da vacina contra panleucopenia felina, vacina contra calicivirose felina, vacina contra rinotraqueíte infecciosa felina e a vacina contra raiva.

As vacinas opcionais protegem contra doenças com prevalência baixa de infecção, doenças relativamente benignas, doenças para quais existe tratamento eficaz ou doenças em que as vacinas não impedem infecção, mas tornam a infecção mais branda, como é o caso da vacina contra clamidiose felina e da vacina contra leucemia felina (FeLV). Neste caso, é importante avaliar a relação entre risco e benefício de acordo com a situação de cada animal e a prevalência das doenças na região.

Deste modo, as vacinas para gatos disponíveis no Brasil são:

3.1. Vacina múltipla/polivalente

Existem 3 tipos de vacinas múltiplas/polivalentes e a diferença entre elas está na quantidade de antígenos que elas apresentam, conferindo proteção contra 3, 4 ou 5 doenças.

Tríplice: panleucopenia felina, calicivirose felina e rinotraqueíte infecciosa felina

Quádrupla: panleucopenia felina, calicivirose felina, rinotraqueíte infecciosa felina + clamidiose felina.

Quíntupla: panleucopenia felina, calicivirose felina, rinotraqueíte infecciosa felina, clamidiose felina + vírus da leucemia felina (FeLV).

Deve ser administrada na 8ª semana de idade, em 2 doses, com intervalo de 3 a 4 semanas. Deve ser realizado reforço anual com dose única. Geralmente, opta-se pela vacina quíntupla, visto que ela confere proteção contra mais doenças.

Panleucopenia Felina
Panleucopenia Felina
Calicivirose Felina
Calicivirose Felina
Rinotraqueíte Infecciosa Felina
Rinotraqueíte Infecciosa Felina
Clamidiose Felina
Clamidiose Felina
Leucemia Viral Felina
Leucemia Viral Felina

3. 2. Vacina contra raiva

Deve ser administrada dose única entre a 12ª e a 16ª semana de idade. Deve ser realizado reforço anual com dose única.

Raiva Felina
Raiva Felina

Abaixo, segue o esquema de protocolo vacinal recomendado por médicos veterinários. Porém, é importante considerar que este protocolo pode sofrer alterações de acordo com os fatores que já mencionamos. Gatos adultos com histórico de vacinação desconhecido devem ser submetidos ao mesmo protocolo.

Protocolo Vacinal para Gatos
Protocolo Vacinal para Gatos

4. Por que é necessário realizar reforço anual?

As vacinas essenciais (vacina múltipla ou polivalente e vacina da raiva) conferem proteção de longa duração, mas o reforço anual é recomendado visto que elas protegem contra doenças muito graves e de alta prevalência no país. Além disso, no caso raiva, o reforço anual é recomendado pela legislação vigente no Brasil como uma forma mais eficaz de prevenção da doença.

Já as vacinas opcionais (demais vacinais) não conferem uma proteção tão longa e o reforço anual é recomendado a fim de continuar estimulando o sistema imunológico.

5. Quais locais são indicados para aplicação de vacinas nos gatos?

Pela possibilidade de desenvolver uma reação chamada pós-vacinal, indica-se realizar a aplicação de vacinas nos membros locomotores, especialmente, nas regiões abaixo dos cotovelos e joelhos.

Segundo a organização americana Vaccine-Associated Feline Sarcoma Task Force (VAFSTF), recomenda-se:

Vacina tríplice ou quádrupla: membro torácico direito
Vacina quíntupla (com antígeno para o vírus da leucemia felina): membro pélvico esquerdo
Vacina contra raiva: membro pélvico direito

Locais de Aplicação de Vacinas em Gatos
Locais de Aplicação de Vacinas em Gatos

6. Quais reações adversas as vacinas para gatos podem causar?

Embora seja raro, as vacinas para gatos podem desencadear:

Reações locais: reação inflamatória com dor, edema, irritação e formação de abcessos; ocorre de 30 minutos até 7 dias após a aplicação da vacina.

Reações focais granulomatosas: reação inflamatória com formação de nódulos subcutâneos ou intradérmicos.

Sarcoma pós-vacinal: reação inflamatória local que desencadeia o aparecimento de neoplasias na área da vacina, ocorre de 3 meses até 3 anos após a aplicação da vacina.

Reações sistêmicas: mal-estar e febre por 1 ou 2 dias após aplicação da vacina.

Choque anafilático: reação de hipersensibilidade com edema facial, coceira, dificuldade respiratória, diarreia; ocorre de 1 até 24 horas após a aplicação da vacina.

7. Quais são as recomendações para o tratamento de massas em área de vacina em gatos?

A Vaccine-Associated Feline Sarcoma Task Force (VAFSTF) recomenda que massas no local da vacina que persistam por mais de 3 meses após a vacinação, que tenham mais de 2cm de diâmetro e/ou que tenham aumentado de tamanho 1 mês após a vacinação devem ser biopsiadas, e se forem malignas, devem ser removidas por cirurgia. É possível que também haja a necessidade de radioterapia e de quimioterapia.

Porém, a recorrência de massas no mesmo local é comum e a remoção cirúrgica pode resultar em falhas.

Vacinas para Gatos
Vacinas para Gatos

Para uma vacinação segura e eficaz, os animais devem ser submetidos a consulta prévia com um médico veterinário para avaliação clínica e física e somente animais saudáveis podem ser vacinados. Também recomenda-se a vacina importada pela melhor garantia da sua eficácia (para saber mais, confira o post Vacinas nacionais e importadas para cachorros e gatos: entenda definitivamente as diferenças), a qual deve ser aplicada exclusivamente por um médico veterinário.

Uma outra dica é realizar a aplicação da vacina em sua casa por um médico veterinário que atenda a domicílio, visto que os gatos são muito suscetíveis ao estresse causado pelo transporte, mudança de ambiente, barulho e contato com outros animais e pessoas desconhecidas.

E lembre-se: após a última dose do protocolo vacinal, é necessário aguardar 14 dias para realizar a exposição do seu gato com o ambiente e com outros animais, pois é o tempo que a vacina leva para montar uma resposta imune adequada.

Pronto! Agora você já entende tudo sobre o assunto! Saiba onde vacinar o seu gato em Porto Alegre, mantenha o calendário de vacinação do seu pet atualizado e ajude a conscientização da população sobre a importância das vacinas para gatos! 🙂

E, você quer saber muito mais sobre vacinas e saber como garantir que o seu pet está realmente prevenido contra diversas doenças e que ele está sendo vacinado corretamente? A resposta é simples: basta acessar o Guia de Vacinação de Cães e Gatos, desenvolvido especialmente para tutores de cães e gatos. Com este material, você poderá garantir que o seu pet está recebendo as vacinas corretas nos períodos corretos e que ele está recebendo também vacinas de qualidade, além de saber quais as doenças as quais ele está protegido e o que elas causariam, as reações adversas das vacinas, os locais indicados para aplicação de vacinas em gatos e muito mais! Clique aqui para acessar e fazer download do Guia de Vacinação de Cães e Gatos e garanta que o seu pet esteja realmente prevenido.

Saiba Onde Vacinar Cachorros e Gatos em Porto Alegre

Nós sabemos que a vacinação de cães e gatos é fundamental para prevenção de doenças infecciosas e para manutenção do bem-estar animal.

Quando filhotes, os animais devem ser submetidos a protocolos vacinais estabelecidos por médicos veterinários e, após, devem receber uma dose de reforço anualmente.

Mas você sabe onde vacinar seu cão ou seu gato em Porto Alegre? Separamos abaixo algumas clínicas veterinárias nos principais bairros de Porto Alegre!

Saiba Onde Vacinar Cachorros e Gatos em Porto Alegre

Agronomia

Hospital de Clínicas Veterinárias da UFRGS

Auxiliadora

Gaia Clínica Veterinária
Marta Masia Veterinária
Mundo Animal

Azenha

Cevet
My Pet Centro de Saúde e Bem Estar Animal

Bela Vista

Clinicat
Fofos e Feras Pet Shop
Pet Dreams

Bom Fim

Águia Veterinária
Bichos e Companhia Pet Shop
Mais Bichos Centro de Saúde Animal
Pegada’s Pet Shop

Bom Jesus

Clínica Veterinária Prontovet
Hospital de Clínicas Veterinárias do RGS

Cavalhada

Animed RS – Unidade Cavalhada

Centro Histórico

Cantinho dos Travessos Clínica Veterinária & Pet Shop
Casa dos Animais
Núcleo Veterinário

Chácara das Pedras

Pet and the City Boutique & Spa
Pet Home 24h – Clínica Veterinária 24 horas

Cidade Baixa

Mundo Pet
Centro de Saúde Animal
Cidade Bixo
O Gato – Consultório Felino

Cristal

Pet Support – Zona Sul

Floresta

Águia Veterinária
Petz – Moinhos de Vento
VetPlex Complexo Veterinário

Higienópolis

Bichomania Clínica Veterinária
Clínica Veterinária Toca dos Bichos
Pet Support

Independência

Pet Stop
Vet Care

Ipanema

Portovet Clínica Veterinária 24 Horas
Pet Vitae

Jardim Botânico

Centro Veterinário Barão do Amazonas

Jardim Lindóia

Centro de Estética e Saúde Animal Lindóia
Mundo a Parte

Menino Deus

A Terra dos Bichos Clínica Veterinária
Cia Animal
Hospital Veterinário Lorenzoni
Mascotes e Cia

Moinhos de Vento

Chatterie – Centro de Saúde do Gato
Clínica Veterinária Moinhos de Vento

Mont Serrat

Clínica Veterinária Lieberknecht
Veterinária Auxiliadora

Passo da Areia

Clínica Veterinária Bichos do Mundo

Passo das Pedras

Hospital Veterinário UniRitter

Petrópolis

Águia Veterinária
Animed RS – Unidade Petrópolis
Clínica do Gato
Fertvida Veterinária
Pet Fauna
Pet Spot
Puppyshow

Praia de Belas

Ponto do Cão Pet Shop e Clínica Veterinária

Rio Branco

Cat e Dog Clínica Veterinária
Clínica Veterinária Central
Mundo a Parte
Urgevet Animal Care

Santana

Armazém Quatro Patas
Pet Santana
Saúde Vet

Teresópolis

Krefta Vet Center
Nosso Pet
Panvet

Três Figueiras

Veterinária Três Figueiras

Tristeza

Centro Vet
Mundo a Parte
Vets Clínica Veterinária
Vida Pet

Vila Ipiranga

Clínica Veterinária do Forte

Importante! Antes de vacinar o seu animalzinho, lembre-se:

– O animal deve passar por consulta prévia com um médico veterinário.
– A vacina deve ser aplicada por um médico veterinário.
– Recomenda-se a aplicação da vacina importada (ética) – saiba o porquê aqui!

Pronto! Agora você tem várias opções de onde levar o seu cão e/ou o seu gato para vacinar em Porto Alegre e já sabe dos cuidados necessários para uma vacinação segura e eficaz. 🙂

E, você quer saber como garantir que o seu pet está realmente prevenido contra diversas doenças e que ele está sendo vacinado corretamente? A resposta é simples: basta acessar o Guia de Vacinação de Cães e Gatos, desenvolvido especialmente para tutores de cães e gatos. Com este material, você poderá garantir que o seu pet está recebendo as vacinas corretas nos períodos corretos e que ele está recebendo também vacinas de qualidade, além de saber quais as doenças as quais ele está protegido e o que elas causariam, as reações adversas das vacinas, os locais indicados para aplicação de vacinas em gatos e muito mais! Clique aqui para acessar e fazer download o Guia de Vacinação de Cães e Gatos e garanta que o seu pet esteja realmente prevenido.